Música ao vivo, dança, circo, cores, formas e texturas, tudo junto e misturado e depois feito e refeito… isso é Bê a Bach, um espetáculo infantil contemporâneo para todas as idades, inclusive bebês. Uma viagem divertida, misteriosa e emocionante, pelo universo sonoro de Johann Sebastian Bach. Com o grupo Furunfunfum e a Cia. Noz de Teatro, Dança e Animação.

A exposição homenageia dois ícones da cultura brasileira - Mário e Oswald de Andrade, apresentando, entre outras obras, desenhos originais do livro Pau Brasil, publicações como a revista Klaxon, objetos e documentos da Missão de Pesquisas Folclóricas, e expõe, sobretudo por meio de fotografias, audiovisual e impressos, a permanência de suas ideias e a potência de suas obras enquanto norte para demais linguagens artísticas. 

A mostra em cartaz reúne 48 fotografias inéditas que retratam a maior a metrópole do país sob diferentes prismas como lugares, arquitetura, pessoas, paisagens, manifestações, acontecimentos.

No fim de semana, dias 29 e 30, o Museu da Casa Brasileira (MCB) promove a quarta edição de um evento bem saboroso para quem curte culinária e já é quase um MasterChef: a Feira Sabor Nacional. Em dois dias, mais de 60 pequenas marcas de alimentos, bebidas e acessórios culinários se reúnem a fim de incentivar e dar visibilidade aos produtores nacionais.

Censurada pela ditadura militar, a peça Patética, que conta a história do jornalista Vladimir Herzog, ganha uma remontagem neste mês pela Cia. Estável de Teatro. O espetáculo estreia neste sábado (17), às 17h, no Teatro Flávio Império. Até 30 de julho, a peça ainda passa pelo Arsenal da Esperança e pela Oficina Cultural Oswald Andrade. A entrada Livre. 

Entre 8 de junho e 10 de julho, a Dan Galeria recebe "Brecheret: Encantamento e Força", mostra que expõe obra de um dos escultores mais importantes do país. Nascido da Itália e radicado em SP, Brecheret é criador do "Monumento às Bandeiras", um dos mais icônicos e significativos da cidade. A exposição reúne 46 obras, entre esculturas e desenhos, que se dividem em núcleos e subnúcleos.

O Parque da Água Branca reserva um pedaço do interior cafeeiro de São Paulo em meio à zona oeste da capital. O local guarda refúgios em meio à cidade e nem parece que se encontra na imensa Avenida Matarazzo – lá é normal encontrar galinhas, cisnes e filhotes de aves andando harmoniosamente em meio aos visitantes. Seja para ler um livro, fazer exercícios ao ar livre, meditar, participar de aulas de yoga, fazer um piquenique ou almoço em família nas mesas de madeira, conhecer o parque realmente vale a pena.