Semana de Artes HeForShe abraça a causa do movimento mundial criado pela ONU "Mulheres pela igualdade de gênero"

Cultura
Tipografia

O MAM (Museu de Arte Moderna de São Paulo) promove, entre os dias 8 e 14 de março, a Semana de Artes HeForShe, que abraça a causa do movimento mundial criado pela ONU "Mulheres pela igualdade de gênero", num esforço global para a remoção de barreiras que limitam mulheres e meninas e seus direitos humanos. A entrada é gratuita, incluindo as exposições que já estão em cartaz no museu.

Durante os sete dias consecutivos, o foco das atividades será a reflexão sobre a necessidade de mudanças urgentes nas artes para o empoderamento das mulheres, por meio da realização de palestras, mesas-redondas, oficinas, shows musicais, documentários, espetáculo teatral e projeção de documentários. 

A Semana de Artes HeForShe será realizada em sincronia com o calendário global do evento, com a adesão de outras sete grandes cidades: Nova York, Londres, Paris, Madri, Santiago do Chile, Cidade do Panamá e Bancoc. São Paulo é a única cidade participante que vai abrigar toda a programação em um só local. 

Durante a Semana de Artes HeForShe, a entrada para todas as mostras do MAM é Catraca Livre. Além das exposições que já estão em cartaz, Anita Malfatti: 100 anos de arte moderna e O mercado de arte moderna em São Paulo: 1947-51, e da instalação da artista Marcia Xavier Mergulhe, o museu abre no dia 8 de março a mostra "A mulher e o trabalho", em cartaz na biblioteca. 

Com curadoria de Magnólia Costa, a mostra é composta por 16 trabalhos do acervo feitos por artistas mulheres, em que são utilizadas tecnologias predominantemente relegadas às mulheres nas sociedades tradicionais, como tricô, tecelagem, costura, bordado e crochê. 

Laura Cardoso ganha homenagem na 33ª Ocupação do Itaú Cultural

As obras das contemporâneas Regina Silveira, Dora Longo Bahia, Iole de Freitas, Nazareth Pacheco, Courtney Smith, Lia Menna Barreto, Fabiana Rossarola, Rioko Aoki, Maria Helena Chartuni e Andrea Velloso remetem às várias esferas de atividade em que a mulher hoje se insere, como família, carreira, dinheiro, aparência, sexo, parceiros, amigos, tendo como contrapartida frustração, exaustão e violência, autoimpetrada ou infringida pelo outro, quase sempre um homem. 

No mesmo período, o "Café Educativo", obra interativa de Jorge Menna Barreto, funcionará entre os eventos, exceto na segunda, dia 13. O trabalho, que pertence à coleção do MAM e é realizada pela equipe do Setor Educativo do museu, em parceria com o artista, consiste na organização de um ambiente onde o público pode acomodar-se, tomar um café e conversar com educadores sobre as exposições em cartaz ou temas em evidência na agenda do museu.