REVISÃO DA APOSENTADORIA | 4 mil benefícios cortados no CE

Nos Estados

Diário do Nordeste - No Estado, segundo o MDS, 17,6 mil auxílios serão revisados. Economia estimada é de R$ 61,8 milhões

Um levantamento do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) apontou, que após realizar 3.923 perícias, o governo federal decidiu cancelar no Ceará quase 4 mil auxílios-doença. 

"Além disso, 519 benefícios foram convertidos em aposentadoria por invalidez, 110 em auxílio-acidente, 18 em aposentadoria por invalidez com acréscimo de 25% no valor do benefício e 68 pessoas foram encaminhadas para reabilitação profissional", informou o MDS. Segundo a Pasta, no Estado, 17.601 benefícios de auxílio-doença serão revisados. "A economia anual estimada até agora é de R$ 61,8 milhões", afirmou o Ministério. Os resultados abrangem os cancelamentos até o dia 14 de julho. 

Já no País, de acordo com o MDS, foram realizadas 199.981 perícias com 159.964 benefícios cancelados. A ausência de convocados levou ao cancelamento de outros 20.304 benefícios, totalizando mais de 180 mil auxílios-doenças cancelados. 

"Além disso, 31.863 benefícios foram convertidos em aposentadoria por invalidez, 1.802 em auxílio-acidente, 1.058 em aposentadoria por invalidez com acréscimo de 25% no valor do benefício e 5.294 pessoas foram encaminhadas para reabilitação profissional. Ao todo, 530.191 benefícios de auxílio-doença serão revisados. A economia anual estimada até agora é de R$ 2,6 bilhões". 

Previsto em lei, o auxílio-doença estabelece o repasse de dinheiro ao segurado do INSS que, por uma doença ou acidente, fica temporariamente incapaz de trabalhar. Para receber os recursos, a pessoa precisa apresentar laudo médico e passar por revisão. O pente-fino nos benefícios pagos pelo INSS, previsto em medida provisória, começou em 2016, mas foi suspenso porque o Congresso não aprovou a MP a tempo. O governo, então, editou uma nova MP, e a revisão foi retomada no início deste ano. A meta agora é concluir o pente-fino até setembro deste ano. Em alguns casos, foi constatado que a pessoa já tinha recuperado condições de voltar ao trabalho.