POSIÇÃO | A luta é de todos os brasileiros!

Opinião
Tipografia

Paulo Pereira da Silva - Vivemos um período atribulado e repleto de incertezas. E, como se isto não bastasse, dados divulgados pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – na sexta-feira, dia 31, nos dão conta de que a taxa de desemprego, que recentemente havia ultrapassado a casa dos doze milhões de desempregados, atingiu, no trimestre encerrado em fevereiro, 13,5 milhões de brasileiros. Um recorde negativo histórico.

E enquanto isto o governo insiste em sanar seus cofres com as reformas previdenciária e trabalhista, e promovendo uma Terceirização que inclui a atividade-fim das empresas. Todas elas medidas que penalizam brutalmente os trabalhadores e ceifam direitos adquiridos, com muita luta, ao longo dos anos. 

Para enfrentar o pesadelo a que a classe trabalhadora vem sendo submetida a Força Sindical e as demais centrais sindicais decidiram, em unidade de ação, definir o dia 28 de abril como o “Dia Nacional de Paralisação, Atos e Greves”, levando todo o nosso descontentamento e nossos protestos aos quatro cantos do País. 

As manifestações, os atos e as paralisações ficarão a cargo de cada sindicato de trabalhadores, federações, confederações, centrais e demais segmentos da sociedade, e esperamos que a multidão de descontentes atinja a casa das centenas de milhares de pessoas. Temos de pressionar o governo e sensibilizar os parlamentares para que assumam um compromisso com os trabalhadores e com o povo brasileiro de não mexer nos nossos direitos. 

Lutamos por um País mais igualitário e justo socialmente, com emprego formal, renda e a oportunidade de nos aposentarmos com dignidade. Não podemos permitir todo esse desrespeito que o governo quer lançar sobre os ombros de quem tanto fez e faz pelo Brasil. Temos de erguer nossa voz toda vez que nossos direitos forem ameaçados. 

No dia 28 de abril todos às ruas, por todo o País, para lançarmos nosso protesto contra as pretensões arbitrárias do governo. Nossa unidade na luta e nossa mobilização serão fundamentais para que alcancemos nossos objetivos. 

Paulo Pereira da Silva, Paulinho, Presidente da Força Sindical e deputado federal