POSIÇÃO | Baixar juros para reerguer o País

Opinião
Tipografia

Por Paulo Pereira da Silva - Os equívocos sequenciais do governo de elevar os juros por um longo período serviu apenas para alimentar a recessão econômica, encarecer o crédito, espantar investimentos, inibir a produção e o consumo e causar desemprego. Tudo bem que nas últimas seis reuniões o Copom tenha iniciado uma redução na taxa básica de juros, Selic, fazendo com que recuasse de 14,25% para os atuais 10,25% ao ano. Só que, frente à constância dos aumentos praticados, a baixa ainda é insuficiente para recolocar nossa economia nos eixos.

O Brasil precisa reduzir os juros para que dê início à sua retomada econômica. Mas uma redução efetiva, encorpada, contundente, capaz de atrair investimentos, gerar postos de trabalho formais e reaquecer produção e consumo. 

O Copom voltará a se reunir neste mês de julho, e esperamos que os economistas do governo se conscientizem de que uma redução “conta-gotas” não irá surtir o efeito desejado. O momento pelo qual o País atravessa é bastante delicado, com incertezas e constantes ameaças da retirada de direitos dos trabalhadores, que sempre acabam pagando a conta. Tudo do que não precisamos agora são de juros nas alturas. 

A nossa pressão por juros aceitáveis – e pela manutenção dos direitos – não vai parar. Vamos continuar nos manifestando contra todas as arbitrariedades que possam atingir os trabalhadores brasileiros, sempre os mais atingidos pelos desatinos do governo. 

Paulo Pereira da Silva, Paulinho, presidente da Força Sindical