POSIÇÃO | Antecipação do 13º dos aposentados injetará 20,6 bilhões na economia do país

Opinião

Por Marcos Bulgarelli - A conquista do Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos pela antecipação do pagamento de metade do 13º dos beneficiários tem grande relevância na atual conjuntura recessiva do país.

Os R$ 20,6 bilhões que chegarão às contas dos aposentados e pensionistas entre os dias 27 de agosto e 10 de setembro, em um plano micro, serão responsáveis por amparos emergenciais como o pagamento de dívidas ou reforços orçamentários nos lares dos 30 milhões de brasileiros.

No plano macro, considerando que grande parte do montante da antecipação do 13º dos aposentados será convertido na aquisição ou contratação de bens e serviços, os bilhões resultarão no fortalecimento da economia do país.

Para dimensionar o impacto da transferência de valores do INSS aos beneficiários, cerca de 64% dos municípios brasileiros dependem da renda dos aposentados para o desenvolvimento da economia local.

Ainda que a antecipação de metade do 13º já esteja incorporada ao orçamento familiar dos aposentados e influencie positivamente a economia, ela não se constitui como lei, dependendo de assinatura de decreto presidencial para que ocorra a liberação.

Agora a luta do Sindicato Nacional dos Aposentados é para que a antecipação se torne lei e seja, definitivamente, incorporada nos orçamentos dos brasileiros ligados ao INSS.

Marcos Bulgarelli é presidente do Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos.