A Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM) reafirma que a reforma da Previdência enviada pelo governo ao Congresso Nacional é um retrocesso e repudia veemente a ideia, insistentemente defendida pelo presidente Temer, de idade mínima de 65 anos para a aposentadoria de todos os trabalhadores (homens e mulheres).

Por Paulo Pereira da Silva - Nos dias 10 e 11 de janeiro o Comitê de Política Monetária (Copom) do governo estará reunido, nesta que será a primeira reunião de 2017, para decidir como a taxa básica de juros (Selic) vai iniciar este ano, se será mantida, elevada ou reduzida.

Por João Carlos Juruna Gonçalves - Foram muitas as dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores nesse ano que passou. Dentre elas destaco o desemprego, os juros altos e a proposta da reforma da Previdência, que retira anos de benefícios do trabalhador. Tais questões, que travam o crescimento econômico, estão longe de ser resolvidas e adentraram 2017 ainda causando desconforto para o povo brasileiro.

Por Antônio Augusto de Queiroz - Por meio da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/16, o presidente Michel Temer encaminhou ao Congresso Nacional, no dia 5 de dezembro de 2016, a mais radical proposta de reforma da Previdência após a Constituição de 1988.

Por João Carlos Juruna Gonçalves - O País mergulha numa crise econômica que parece não ter fim, e os trabalhadores brasileiros, não bastasse a recessão em si, seguem preocupados com os efeitos nocivos que a retração da economia provoca. É uma reforma da Previdência que retira direitos, são os juros altos, inflação, a perda do poder aquisitivo dos salários e das aposentadorias, e o desemprego, que sem dúvida é o que mais preocupa e constrange.    

João Carlos Gonçalves, (Juruna) - Apesar de todos os debates a portas fechadas entre membros do governo, e dos clamores dos trabalhadores por todo o País, o presidente Michel Temer, ao anunciar na última 2ª feira (5) que a reforma da Previdência, enviada no dia 6 ao Congresso Nacional, vai estabelecer, entre outras regras prejudiciais a todos, uma idade mínima de 65 anos para que homens e mulheres possam se aposentar, jogou uma “ducha de água fria” nos anseios da classe trabalhadora.

Por Carlos Ortiz - Ontem o governo apresentou as propostas para a Reforma da Previdência. Em realidade, Temer e sua equipe econômica colocaram sobre a mesa um prato-feito com a apimentada ideia da aposentadoria somente com idade mínima de 65 anos e o mínimo de 25 de contribuição.

Paulo Pereira da Silva - Milhares de pessoas participaram na última 6ª feira, 25, das manifestações promovidas pela Força Sindical e pelas demais centrais, em várias cidades de São Paulo e de outros Estados, no chamado “Dia Nacional de Lutas, Mobilizações e Paralisações”, por mais direitos e pelo emprego.

Por João Carlos Juruna Gonçalves - O Copom (Comitê de Política Econômica), ligado ao Banco Central, decide na próxima quarta-feira a nova taxa básica de juros (a atual taxa é de 14% a.a.). O governo tem uma ótima oportunidade de sinalizar para o setor produtivo, que gera emprego e renda, que o País não bajula mais os especuladores e o rentismo.